terça-feira, agosto 15, 2006

eu me alimento de raiva

Fui muito boba, dei a maior mancada no fim de semana, mas agindo na maior das boas intenções, eu juro, o povo aqui é besta demais, tarado mesmo, ainda bem q não aconteceu nada, nenhuma insinuação, nenhuma grosseria, nenhuma desgraça, só mesmo a humilhão, ah, mas eu juro, pra nunca mais, me senti extremamente aviltada, humilhada, enganada, acham q sou uma "jacú" bicho do mato idiota, q cai em qq golpezinho baixo, gente, acho q eles precisam - literalmente - conhecer Goiás. Pq, fala sério, em terra de cego, quem tem um olho é Rei,


Para os meus colegas da Faculdade de Jornalismo, ou simplesmente para os goianos (alguns, nem todos).

As cidades do interior
lembro-me das cidadezinhas do interior, parece agora, q vejo agora, com suas casas simples, geralmente com terrenos cheios de plantas, jardins frescos, paisagem absorta, do noso sertão,
O horizonte largo, a rua da praça - onde homem fica de um lado e mulher do outro - a igreja, as calçadas, e tudo limpo, cheiroso,
Goiás é cheiroso, aqui tudo fede, até a Zona Sul fede, imagina o resto, não é esteriótipo não gente, eu vim conferir, se toda capital tem problemas? Claro, Brasil, mas pô, isso aqui é - sinceramente - o caos
Ainda bem q tem mar, sol e Zona Sul, Barra, região dos lagos (só as praias, não falo das cidades), e Chico Buarque de Holanda, ainda bem q tem ) Cinema Odeon (só filmes nacionais - cabeça - cada filme), ainda bem q tem a UFRJ, a UFRRJ, a Uerj, a PUC, a UFF, e alguns colégios,
Ainda bem q tem o Sindicato dos jornalista (a Júlia é um encato),
Ainda bem q tem a Ponte Rio-Niterói,

Sei lá, ...

Acho que tudo o q está acontecendo de ruim (e está mesmo) é só uma fase pra depois quando acontecer o q espero, q eu seja fiel eternamente, e eu o serei, completa o totalmente fiel, e vcs sabem a q: jornal, jornal, jornal (mas não é qq jornal nê, fala sério)

O povo aqui é bobo demais (talvez porque eu esteja ainda mexendo com a pior parte do Rio, com cada barraco, cada concepção, cada "visão de mundo", q é difícil).

Eu me alimento de raiva, sexta-feira dei logo um passa fora em um problema q tava me atormentando deste q (...).
Ainda falta mais um outro problemão pra resolver, e esse eu terei q ter sabedoria, dar metade de um passa fora agora - tipo daqui a uma semana, ou daqui há 3 dias - e guardar a outra metade do passa fora p dividir novamente e soltar depois, tipo um mês. Mas tá difícil pq as pessoas aqui têm valores intertidos, se vc se irrita com uma humilhão é vc q está errado, vê se pode, ah...
Sou passional por natureza, queria mesmo, de verdade, do fundo do meu coração, era chutar o balde, sabem, mandar tudo a merda, falar tudo o q penso, mas não posso, ainda não posso, agora, o q eu não entendo e nunca - mas nunca mesmo - vou entender é pq tem tanta gente ruim no mundo, vai ver q é pra qualificar os bons, só pode ser, (os outros passarão, eu passarinho)


Acho que não sei se me alimento de raiva, não eu sinto raiva, mas me alimento de amor, é isso, amor pela humanidade e por tudo q é bom,
é isso

O q quero? Não quero poder, nem dinheiro, nem status, nem badalação, não quero presente, nem jabá, nem nada, nada, nada,
vai tudo pro inferno, eu quero é jornal (...), eu quero é jornal (...), pq amo, é pra isso q vim pro Rio, e gente, não sei qual é o estranho poder q jornalista dá as pessoas, pq pra gente a gente não é nada não, a gente é trabalhador intelectual, pseudo-intelectual, ou não?
É pra pagar o pão mesmo, é pra pagar o aluguel, é pra andar de ônibus, e quando a vida melhorar - um carrinho tá bom, mas é só meio de transporte pq as pernas nãos aguentam e a gente sua e tem chuva e tem sol, pq se eu tive asas (de verdade), fala sério q eu queria carro, eu só quero jornal, só vim pro Rio pra isso, pq q diabos ninguém acredita, tô com uma raiva de tudo, vai passar, sei q vai, mas agora tá doendo demais, vcs nem imaginam,
Olha, pq a gente ama tanto essa profissão fdp eu não sei, vai ver é pq ela dá o engano q as outras não dão e q o ser humano tanto deseja (todos os seres humanos, por favor não mintam nem se omitam), q é L I B E R D A D E

4 Comments:

Anonymous Rafael said...

Paula, há uma citação muito famosa e eu espero q vc tire algum proveito dela: ´´não importa o quão grande seja o seu problema- apenas diga para ele o quão grande seu Deus é´´. Abraços! Se cuida! Coisa que vc sabe bem, né?

9:31 AM  
Anonymous Hebert Regis said...

Paula, adoro a sua intensidade. Consigo ver a sua irritação, os seus desejos, como se estivesse aqui, na minha frente!! Muito bom matar saudades de vc, por meio dos seus textos. Qquer coisa, estamos aqui. Abraços.

1:57 PM  
Blogger Fellipe Fernandes said...

Sempre tive você como uma personagem de novela mexicana! não pelo mal gosto, mas sim pela dramaticidade das coisas. Toda vez que leio as suas histórias, imagino aqueles jogos de câmera, aqueles nomes absurdos e aquelas músicas...rs Espero que vc não se importe de eu pensar assim...rs Ah! fiquei curioso pra saber o que houve...rs bjim

9:34 AM  
Blogger Rodrigo said...

Oi, Paula. Já tem um tempo que estava querendo deixar uma marca por aqui. Espero que 15 dias depois vc tenha conseguido resolver ou pelo menos ter abrandado seu problema. Realmente existe uma parte podre e fétida do mundo. Muita gente suja no sentido figurado. Mas atenha à parte boa. vc sabe que ela existe. E isso é maravilho de saber. Bjão, abração. To realmente com saudades.

10:08 PM  

Postar um comentário

<< Home